22.2.06

o verbo blogar

Neste momento, eu conjugo-me no pretérito perfeito. Estou blogada. É um estado que não me compromete mas evidencia-me a sobreposição de camadas de que somos feitos. Camadas e camadas... Costumo advertir os incautos que isto dos blogues poder ser uma terapia, uma subversão, uma treta, nada, um passatempo, uma coisa, o que se quiser. A indefinição leva à loucura, já se sabe. Não sei se é pela necessidade de terapia colectiva, mas hoje ocorreu-me esta frase pirosa: Um cidadão, um blogue. E ainda uma pergunta à colunista de costumes americana (daquelas que andam a passear-se estampadas a cores e em grande nos autocarros dos EUA): Será o blogue o psicanalista dos nossos tempos?

4 Comments:

Blogger Marion said...

o blogue é o que se queira, pode ser o desabafo, pode ser o vício, pode abrir mundos, pode fechar-nos para as pessoas de carne e osso em nosso redor ....

10:21 da tarde  
Blogger Sony Hari said...

Que seja o psicanalista d presente e do futuro, pelo menos a este não terei que pagar por cada parvoíce que disser.

11:17 da tarde  
Blogger johnny handsome said...

Depende do bloguista e depende do blog. São mais ou menos como os vinhos: Há caros, há baratos, há bons, há maus e há uns grandes barretes...Mas nenhum vale mais do que 10 Euros a garrafa....

9:08 da manhã  
Blogger Zecatelhado said...

Nunca se sabe, eh,eh,eh!

Um @bração do
Zecatelhado

6:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home