30.11.05

como (ela) descodifica uma relação 3

"Suponhamos que existem dois jovens que se ligam diariamente, encontram-se quase todos os dias, vão ao cinema, jantam, elogiam-se, olham-se, tocam-se, compram coisa juntos, encontram-se só para poderem olhar um para o outro e desejam boa noite e bom dia quando se deitam e acordam. Mas não passeiam de mão dada, não se tratam por namorados (pelo menos nunca tentaram fazê-lo) e nunca pensaram bem naquilo que são.

Análise: Já o são mas não sabem. Já o querem mas não assumem para não se magoarem. Já o desejam mas não o passam para palavras.

Um dia, na rua, quando ele lhe pegar na mão ela não vai fugir, quando ela lhe passar a mão pelo cabelo ele vai deixar, vão beijar-se e não vão ter tempo para pensar em mais nada."

in Respostas Paralelas

Porque no amor as palavras valem muito menos que as coisas.

2 Comments:

Blogger Zecatelhado said...

Estou completamente de acordo.

Pois cá está este teu amigo de regresso após um tempo bastante assoberbado com outros afazeres. Espero voltar ao "ritmo normal" outra vez.
Aquele abração do
Zecatelhado

12:54 da tarde  
Blogger bolaxamaria said...

Há quem dê mais importância às palavras do que aos actos.
Há quem aposte mais nos gestos...
Eu cá sou mais gaja de palavras.

4:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home