16.4.05

As casas da sorte

A minha amiga Sónia anda a tirar um curso de Reiki, depois de já ter feito uma pós-graduação em bio-dança (não faço a mínima ideia do que seja, só sei que as aulas decorriam na mata de Sintra...).

Ontem apareceu-me com um novo código baseado em números calculados pela nossa data de nascimento. Segundo os meus números - 2 e 5 (e eu que gosto é do redondinho 8) sou influenciada pela lua e tenho tendência para vícios, tanto nas devoções, como nas obrigações.

A Sónia estava histérica, tinha descoberto a luz e decidiu partilhá-la comigo, eu que sou a amiga mais dada a entender estas coisas, ou talvez a única. A Sónia vive rodeada de cépticos materialistas.

Entretanto, à conta da última descoberta da minha amiga, entretive-me a fazer o balanço numérico dos meus contactos de terceiro grau com ciências do além, nos últimos tempos:

Assisti a 6 palestras sobre reencarnação;

Assisti a 1 palestra sobre o Ki das 9 estrelas (mais um código de números);

Li 1 livro sobre astrologia da célebre Linda Goodman, que é verdadeiramente "assustador";

Conheci 1 especialista em quiromancia (leitura de mãos);

Conheci 1 especialista em tarot;

Conheci dois médiuns;

Alguém me disse que estou a terminar um ciclo de 7 anos;

Tive 6 sonhos conscientes (acordada) premonitórios;

Diverti-me a fazer, sem exagero, uns 15 testes de personalidade dos blogs (que gato és, que filme és, que figura mitológica és, etc...);

Vi aproximadamente 7 vezes a astróloga Cristina Candeias na "Praça da Alegria" da RTP;

Conheci 3 pessoas influenciadas pela Alexandra Solnado;

Tornei-me fã de um site sobre astrologia - www.astro.com;

Tive 1000 conversas sobre astrologia, quiromancia, tarot e reencarnação com os meus amigos;

Chamaram-ne maluca pelo menos umas 20 vezes.

(...) fora outros encontros menos imediatos, que de repente não me ocorrem.

Cheguei a duas conclusões. Primeira: Mais do que querer adivinhar o futuro, anda meio mundo a tentar perceber o presente, num desepero para se conhecer a si e aos outros. Segunda: Espero que a curiosidade não me mate.

Terceira via: Apesar das inúmeras somas algébricas, linhas, mapas e cartas ao meu dispôr, é no meu código que eu confio mais.

3 Comments:

Blogger clark59 said...

Fiquei contente por saber que o 8 é o seu número. Também é o meu.

Agora o gin tonic... francamente... que falta de chá (ou de whisky)

4:42 da manhã  
Blogger Francisco said...

e então o "I Ching"? não conheceste ninguém nessa área?

9:02 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Nós também! E também confio nas análises dos amigos. Nem sempre acertam, mas são sem dúvida as mais esforçadas e sinceras. Além disso costumam ser gratuitas. Não é? CV

12:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home