21.4.05

O mistério dos homens sem carta de condução

Perdoem-me a saloiice, mas uma mulher sem carta de condução consegue ser mais normal que um homem sem a mesma. Machismo à lupa de uma mulher? Talvez. Tenho coisas assim e já desisti de as combater, não vá arranjar alguma doença auto-imune.

Quanto às mulheres, o que me causa estranheza é precisamente o inverso. Conheço algumas que têm carta de condução mas não a utilizam. Depois do exame, por qualquer fobia, jamais usufruiram desse elemento vital à sua independência e mobilidade. Tenho ainda duas amigas que desconfio terem tido desconto na escola de condução, pois só circulam na província, em rectas sem sinais e sem trânsito...

Agora o que realmente me deixa curiosa são os homens não encartados.

Todos os que conheci até hoje, e são uma meia dúzia (não é muito?! Para mim é... ), são da área da comunicação, e quase todos com cargos de chefia. Por sua vez, todos eles alegaram sempre conhecer muitos mais com a mesma disciplina de voto e de outras áreas de actividade profissional. Haverá algum clube?

A minha amiga C. considera-os categoricamente comodistas. Não vou (apenas) por aí. De comodistas todos temos um pouco e, verdade seja dita, os que conheci nunca se queixaram do dinheiro que gastavam em táxi, nem de andar de transportes públicos, e, nesse aspecto, até vão contribuindo para um bom ambiente. O factor comodismo, por isso, não me convence.

Sendo assim, fiz a minha pesquisa habitual... Fiquei a saber que além dos que conheci, existem muitos mais ainda. Há sempre uma amiga que namorou ou convive com um ou mais machos que se deixam conduzir.

As várias hipóteses avançadas são (verdade verdadinha, que eu levo a sério os meus "estudos"):

"Sempre tiveram quem os conduzisse e acomodaram-se";

"Têm a mania que são importantes e sonham ter um dia um(a) motorista";

"São ricos e andam de táxi";

"É porque não têm jeito, seriam uns nabos a conduzir";

"Chumbaram mais do que uma vez no exame e depois tiveram vergonha de repetir";

"São ambientalistas convictos";

"Excitam-se com uma mulher ao volante";

"Os homens ligam muito à imagem, e se não puderem ter um topo de gama (à bela maneira portuguesa), preferem não ter a carta de condução que sempre lhes dá um certo ar 'diferente'...";

"São uns inúteis, preguiçosos e desleixados. Mas também acho o mesmo das mulheres que não têm";

"Faz-me tanta confusão como uma mulher que não tem carta";

"É uma opção como qualquer outra";

"Apanharam algum trauma".

A mim só me resta...

São homens. Não há explicação unívoca. O melhor que tenho a fazer é perder esta mania de querer perceber tudo e dar boleia a um desses desgraçados.

2 Comments:

Blogger clark59 said...

Moro em Algés e trabalho no centro de Lisboa.

Ahahah! Estava à espera de quê?

2:22 da manhã  
Blogger Roxanne said...

LOL...só mesmo tu para escreveres isto. Eu não tenho a carta, já tentei e vou voltar a tentar mas ainda não tenho a carta.
Uma inaptidão que nasceu comigo e que é coerente com o facto de preferir ser conduzida a conduzir (e não é só nas estradas). Confesso que ser uma característica distintiva também me agrada.
Beijinho

1:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home